Mas agora até as bicicletas tomam doping?

Ainda ontem neste post quando fazia a antevisão da Volta a França referi a situação do doping que só prejudica o espectáculo e os próprios ciclistas e hoje deparo-me com uma noticia que me deixou de boca aberta.
Fabian Cancellara actual Campeão Olímpico e do Mundo de Contra-Relógio está a ser acusado por algumas pessoas que interagem com a modalidade de ter usado uma bicicleta com um motor durante as provas do Paris-Roubaix e do Tour de Flandres.
Os supostos investigadores fizeram um vídeo (ver no final do post) a explicar minuciosamente como tudo funciona e o mesmo até já levou o presidente da UCI (União Ciclista Internacional), Pat McQuaid, a vir dizer que os vídeos não têm fundamento e que a organização se encontra alerta no que diz respeito ao uso de tecnologias que possam ilegalmente favorecer os ciclistas durante as provas.
Diga-se o que disser, Cancellara já ganhou provas muito mais importantes do que estas e quem acompanha a modalidade sabe muito bem do que ele é capaz de fazer e das capacidades físicas que dispõe logo duvido muito da veracidade desta teoria mas cada um que tire as suas conclusões.
Aliás, ainda hoje voltou a bater toda a concorrência no prólogo do Tour e não foi por acaso que disse a quem estava a fazer a “análise” da sua bicicleta que era melhor verificarem-no a ele porque ele é que era o motor. Já em declarações reforçou “Quero que toda a gente saiba que eu é que sou o motor, não a minha bicicleta”.

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Ciclismo, Desporto com as etiquetas , . ligação permanente.

2 respostas a Mas agora até as bicicletas tomam doping?

  1. Pah, que é estranho é. Os dois exemplos que eles usam são fantásticos. Ele com uma (suposta!) mudança de velocidade (na engrenagem) REBENTA por completo com a concorrência. E ainda para mais em finais de clássicas. Sem que nada o fizesse prever (iam em andamento constante) e sem aparente mudança de esforço (nem sequer se levanta do assento) conseguir ter uma aceleração daquelas? :S

    Só conheci um ciclista capaz de fazer algo semelhante. Chamava-se Lance Armstrong… e o resto da história já conheces. Pelo que isto é bem capaz de ser verídico Renato. Também nunca pensei que certos ciclistas se dopassem e afinal…

  2. Eu próprio também tenho as minhas dúvidas, a explicação dos gajos é muito boa mas também estamos a falar do Cancellara que é sem dúvida o maior contra-relogista dos tempos que correm, um ciclista que ainda o ano passado carregou uma equipa às costas na etapa do contra-relógio por equipas do Tour. Vou esperar por mais desenvolvimentos, isto agora mais tarde ou mais cedo vai chover mais informação.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s